Minha palavra do ano (2015) foi: Reaprendizagem!

Esse ano eu resolvi fazer diferente para colher resultados diferentes, resolvi me dedicar a reaprendizagem criativa.

Me abri a um contínuo processo de reaprendizagem.

Digo contínuo, pois, aceitando ao convite do meu professor Murilo Gun (Curso de Reaprendizagem Criativa do Murilo Gun), me tornei uma permanente, caçadora de inputs.

A caçadora de inputs é a pessoa que está o tempo todo aberta ao que está acontecendo, com todos os sentidos atentos, observando, experimentando e refletindo sobre o que pode ser combinado para gerar novas soluções.

Como eu fiz isso?

Comecei o ano com uma meta para me tirar da inércia: ler um livro por mês (até agora já foram 16), eu não sabia no inicio quais livros leria, me deixei ser escolhida por eles e eles foram surgindo, quanto mais eu lia, mais eu queria aprender.

Nesse processo conheci um livro fantástico (Abundância)  e descobri que na verdade, eu tinha que Reaprender.

Com o livro, entendi o porque  daquele sentimento de que as coisas não estavam mais funcionando para mim.

O motivo era que o mundo tinha mudado, enquanto eu estava ocupada ganhando a vida dentro do sistema da escassez.

As formas como eu usava as minhas habilidades, não estavam mais servindo para esse novo mundo, não estavam mais resolvendo os meus problemas.

Se eu quisesse entrar nesse novo mundo e vivê-lo plenamente, precisaria rapidamente, adaptar as habilidades existentes e desenvolver novas habilidades.

A questão então passou a ser, como eu poderia fazer esse up grade de habilidades e mindset, da forma mais rápida possível, e que de preferência já me conectasse a esse novo modo de pensar e agir.

Conclui que a melhor forma seria vivenciar um novo modelo de educação, um método online, para reaprender a me comunicar e também a exportar o meu trabalho para o novo local onde as coisas estavam realmente acontecendo, o mundo digital.

Assim me matriculei em um curso online e agora eu te pergunto: Como você mede se um curso foi bom?

curso online

  • Pelo currículo do professor?
  • Pelo conteúdo dado?
  • Pelo quanto você aprendeu?
  • Ou pelo quanto você foi transformado?

 

 

 

Eu medi pela transformação e posso te adiantar, foi fantástico.

Eu reaprendi que não basta mais você saber um conteúdo, afinal está tudo no Google e você pode acessá-lo, literalmente, de qualquer lugar a qualquer hora.

O que já está fazendo, toda diferença, no mercado de trabalho atual é como você usa essas informações, qual o impacto positivo que você gera com elas e quantas pessoas você consegue ajudar com o seu trabalho.

Os professores que estão ministrando esses novos cursos online, ajudados pelas novas tecnologias de informação e comunicação, já sacaram isso e é isso que eles estão vendendo e principalmente entregando: TRANSFORMAÇÃO.

Salman Khan mostra muito bem em seu livro Um Mundo, Uma Escola, como ele já está promovendo uma verdadeira revolução com sua Khan Academy, uma escola totalmente digital e gratuita, acessada pelo mundo todo e ele não é o único.

O ensino online está reinventando a educação.

Entregando muito mais  do que conteúdos, ele está conectando pessoas e modificando as suas formas de agir e pensar.

Essas pessoas transformadas no mundo digital, estão entrando em ação e transformando  também o mundo real.

O modelo de escola que nos conhecemos e onde fomos formados está com os dias contados.

A escola tradicional não dá conta dos novos e diversos interesses dos alunos, não valorizam aptidões artísticas, empreendedoras e conectadas horizontalmente em rede.

Ela ainda valoriza mais a capacidade de memorização ao invés da capacidade de combinação.

Foca no decorar a resposta certa para garantir um ótimo resultado em provas para carreiras que talvez nem mais existam daqui a dez anos.

pense

Se você ainda não parou para pensar nisso, esse texto segue com alguns convites para pensamentos:

  • Pense na sua profissão, quais foram as ultimas modificações tecnológicas na sua área nos últimos 5 anos e como elas impactaram sua rotina de trabalho.
  • Pense na forma como você tem consumido a maior parte dos conteúdos no seu dia-a-dia.
  • Pense em como a tecnologia, está se infiltrando de forma irrevogável, na sua vida.
  • Pense o que há de mais humano, na sua função e que não poderia ser feito por uma máquina. Um conselho: foque nisso.
  • E principalmente pense na forma como você está replicando com seus filhos um modelo que não está mais funcionando nem mesmo para você.

Esse ano, ouvi muita gente falar em crise, mas olhando em volta pude perceber que a crise só afetou de fato que não conseguiu se transformar nem um pouquinho.

Crise é um convite para mudanças.

O modelo econômico atual global está mudando.

Estamos sainda da era da escassez e indo rapidamente para o da era da abundância.

Se o seu negocio ou a sua carreira não contemplar esses novos valores a crise se instalará.

Mas se você adaptá-los a economia criativa, a economia compartilhada,colaborativa e multimoedas,  você vai abraçar uma grande oportunidade.

Pense nisso e escolha em 2016 uma nova palavra para você, faça dela seu verdadeiro lema, assim você correrá o risco de se tornar  o verdadeiro protagonista da sua história.

Tentador não?

Então,Vai lá e Faz!

Feliz Ano Novo!

Baixe agora mesmo o PDF Lindão sobre as 4 Habilidades do Futuro e veja porque a criatividade é uma delas.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.