Qual o melhor investimento para mim?

Quem nunca ouviu essa pergunta: Qual é o melhor investimento para mim?

Geralmente, ela tem sempre a mesma primeira resposta:

R: Depende.

Mas afinal, depende de que?

Para começar nossa conversa de hoje sobre dinheiro, que lhe dizer que não existe um único investimento perfeito, aquele que vai resolver todos os seus problemas e expectativas, num passe de mágicas.

O que existe, no mercado financeiro, são vários tipos de investimentos diferentes, pensados para atender perfis de investidores diferentes e com objetivos diferentes (de prazo, rentabilidade, uso, etc.).

Portanto para começar a escolher os seus investimentos é recomendável que você comece conhecendo qual é o seu perfil de investidor e identificando seus principais objetivos financeiros.

Perfil de investidor:

Você já fez algum teste, para definir qual é o seu perfil de investidor?

Se ainda não, eu recomendo o link abaixo:

Descubra seu perfil de investidor

Mas, por que é tão importante saber, qual é o seu perfil de investidor?

Definir o seu perfil de investidor, vai lhe dar parâmetros, vai lhe ajudar, a escolher quais são os investimentos que mais se adequam, ao seu comportamento com o dinheiro.

Também, vai te ajudar a medir, o quanto de risco você é capaz de suportar num determinado investimento.

E por último, (e a meu ver o mais importante ponto), na verdade, pouco importa qual é o seu perfil de investidor, o que importa é  tê-lo identificado e a partir dele, fazer escolhas de investimentos alinhadas a ele, só assim, você vai se sentir seguro e tranquilo, em relação aos seus investimentos.

Basicamente, o mercado divide os investidores em 3 tipos de perfis de investidores, são eles:

  1. Conservadores conservadora

O investidor Conservador é aquele que está mais preocupado, com a segurança das suas aplicações do que com o seu retorno. Ele prefere ter uma rentabilidade um pouco menor, mas garantida e previsível, do que arriscar a ter uma alta rentabilidade, mas totalmente imprevisível e nada garantida.

Gostaria de fazer uma ressalva aqui no perfil conservador, cuidado para não ser um investidor conservador automático.

Eu acredito que todos nós somos, somos ou seremos conservadores em alguma fase de nossa vida.

É comum, na fase da aposentadoria e na fase de inicio de investimentos, a maioria das pessoas agirem como investidores conservadores e não há problema algum em permanecer assim, o resto da vida, desde que tenhamos feito essa escolha conscientemente, após estudar e definir quais os nossos objetivos financeiros e traçar uma estratégia para alcança-los.

Ser um investidor conservador automático, é ser aquele investidor que não para pensar sobre as sugestões oferecidas por seus agentes financeiros e acaba, aceitando, toda e qualquer sugestão, não percebendo, que muitos produtos de rentabilidade baixa lhe são oferecidos, só para esses agentes atingirem suas metas de vendas com seus bancos e corretoras.

Se você está em dúvida se é ou não um investidor conservador automático, preste atenção a sua carteira de investimentos e veja quantos produtos do tipo título de previdência privada, seguros de vida, CDBs com baixas remunerações em relação ao CDI (abaixo de 90%) e títulos de capitalização você tem?

Esses são produtos que agregam pouco valor a uma boa carteira de investimentos e te atrasam para alcançar os seus objetivos financeiros.

 

  1. Moderados moderada

O investidor moderado é aquele que quer garantir a segurança dos seus investimentos, mas, também quer rentabilidade acima da média.

Topa corre um risco de vez em quando e para ele, algumas perdas também são toleráveis desde que, não sejam recorrentes e que tenham uma rentabilidade maior que a carteira conservadora.

Esse tipo de investidor, procura se manter informado sobre finanças e sobre a conjuntura econômica do país.

 

 

  1. Arrojadosarrojado

O investidor arrojado, busca prioritariamente a maior rentabilidade possível.

Ele estuda bastante, sobre o mercado, sobre a conjuntura econômica e sobre os produtos financeiros disponíveis, com isso faz um melhor gerenciamento dos riscos que está disposto a correr.

Aceita rentabilidades negativas, no curto prazo, mas, está visando uma rentabilidade acima da média no médio e no longo prazo.

Outra coisa que gostaria de ressaltar, é que você pode e deve alternar o seu perfil de investidor, conforme as fazes da sua vida e conforme os seus objetivos financeiros e não ficar preso a esteriótipos de idade, gênero e grau de instrução, por exemplo.

Por exemplo, você pode ter 25, 35 ou 45 anos e ser altamente conservador, por não conhecer nada sobre investimentos e aos poucos conforme vai estudando, colocando em prática e se aprimorando passando a moderado, a arrojado e voltar a ser conservador ou parar no moderado, tudo isso vai depender da sua fase de vida e também do que você escolheu como objetivos financeiros.

Tudo é possível, desde que você tenha plena consciência do que se está fazendo, esse é um dos principais passos para ter tranquilidade financeira, é ter conhecimento, sobre como funciona o dinheiro e como você pode torna-lo um aliado.

Para saber mais assista o vídeo abaixo:

 

 

Objetivos financeiros:

Arrow on red target - business concept

Os seus objetivos financeiros, devem ser representados, pelo valor em dinheiro, que você precisa para alcançar os seus objetivos de vida.

Depois de definir os seus objetivos de vida, você deverá precifica-los, ou seja, descobrir quanto eles custam (as vezes você pode até se surpreender por saber que seu objetivo nem custa tanto como você imaginava).

Com a informação do valor em dinheiro que você vai precisar, aí é a hora de classificar os seus objetivos financeiros pelo prazo para atingi-los, por exemplo: objetivos de curto prazo (até 2 anos), objetivos  de médio prazo (até 8 anos) e  objetivos de longo prazo (mais de 8 anos).

Para um investimento ser bom para você, ele precisa estar alinhado ao seu perfil de investidor (para lhe dar tranquilidade) e atender aos seu requisitos de rentabilidade, prazo e liquidez (para lhe dar segurança), para atingir os seus objetivos de vida.

Para cada objetivo financeiro você deverá escolher um investimento diferente, existente no mercado, que contemple as características desse objetivo financeiro.

Portanto não basta perguntar aleatoriamente: Qual o melhor investimento para mim?

Para saber a real resposta para essa pergunta, é preciso antes, fazer o seu dever de casa e descobrir qual é o seu perfil de investidor e quais são os seus objetivos de vida e financeiros.

Para começar a investir é preciso saber exatamente onde se quer chegar, só assim você poderá escolher quais serão os caminhos que vai percorrer.

Faça o teste do link e confira agora qual é o seu perfil de investidor: Descubra seu perfil de investidor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.